Semanada >   H. Jackson Brown, Jr.
When you lose, don't lose the lesson

terça-feira, setembro 18, 2007

Descompressões



Creio que se pode depreender de um dos últimos posts do Conquilhas que o Tomás tem muitos clientes em prisão preventiva. E não se pode ter clientes em preventiva sem esperar uma carga de trabalhos - que, presumo, se traduz em receita, sendo que o tempo filantrópico já está resolvido, sobretudo quando se trata de reincidir na alegação dos bandidos (agora) falidos - porém, creio, que entre a defesa de um preventivo e a de outro, dos 600 que partirão à procura de novas janelas de oportunidade, haverá sempre um tempo de entrega à literatura e a outros enredos, como nos indica o Dr. Soares (09/15/2007) no seu site/clipping/bloco de notas e “espelho meu“, uma geringonça na Net que é a face visível de uma rede poderosa, com o cérebro sedeado num Pau (ou será Pão?) de cadela (ou será canela?), lugar onde se analisam e resolvem os grandes problemas do mundo e da urbe, pelo crivo do espírito inerente à existência de uma simpática Praça das Flores e concernente Habijovem.



Não muito longe da Praça das Flores e do Café (ou será Restaurant?) Cão da Panela (será Du Pain de Canelle, Pão da Gamela?... enfim), que é como quem diz, nas redondezas da catedral benfiquista, pertinho, portanto, na outra ponta da cidade, lá anda em jornadas de luta blogosférica e de barbearias finas, o meu amigo LNT, no seu Barbearia do Senhor Luís , que continua incrivelmente a recomendar a leitura deste Vida das Coisas, (menção que muito me honra, vinda de um veterano da blogosfera), o que me vai exigir esmero e dedicação, tal como a recolocação dos links para a área de Culinária, aliás, navegações que me agradam muito pelo exercício de imaginar sabores que, só de ver e ler, estimulam as papilas gustativas, glândulas fundamentais para a nossa vidinha - para além do olfacto, já que a visão e a audição, nos tempos que correm, não oferecem o mínimo de garantias para entender as ocorrências que se atropelam, sendo o ditado da conjuntura “lamber para crer (ou querer)” e não o velho dito “ver para crer”.

Foi neste jogging neturístico que assomei o Claro, descobrindo O Café, não o Delta mas o Perdigão, se calhar para os lados Mouraria, com uma esplanada simpática, daquelas que passadas umas imperiais misteriosamente se plantam no meio da rua, atrapalhando, como é óbvio, o sistema viário - ou não fosse uma esplanada Perdigão.


--
Blog Conquilhas
Blog (site?) de João Soares
Blog A Barbearia do Senhor Luís
Blog Claro
Perdigão


PS: O João Soares por Sms, por mail, por interposta pessoa pede-me insistentemente o telemóvel do Artur Albarran. Já lhe disse por várias vezes que não o actualizei e remeti-o para o Pedro, o Santana, para o Luis Filipe, o de Menezes, para o Zé Manel, o de Durão, para o Zé António, o de Arnaut, entre mais alguns e algumas do grupo, como por exemplo o Eng. Carlos Saraiva. Disse-lhe que em último recurso poderia ligar ao "camarada" Domingos, não o de Braga, mas o de Ferreira, do PS mais a Norte, que está a fazer a campanha do Luís Filipe, o de Menezes, o do PSD.
Fica a nota pública. Acresce, amigo João, que estou a pensar seriamente escrever um livrinho de amnésias e recordações. A começar no final de 74. Só para os amigos importantes.

Etiquetas: , ,

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



footer-letra